Igreja

Igreja
A Igreja é de Cristo e é essa que o cristão deve ambicionar servir e não usar

quinta-feira, 3 de agosto de 2017

São Josemaría Escrivá nesta data em 1971

Comenta um texto da Escritura que tinha lido nessa mesma manhã: Dominus vobiscum, quia fuistis cum eo“Deus está connosco. Se o procuramos, encontrá-lo-emos sempre. Se não o buscamos, não o teremos connosco. Portanto, meus filhos, se nós quisermos, não há nenhuma dificuldade que não se possa superar: Ele está connosco, sempre disposto a dar-nos a graça para sermos capazes de vencer”.

FÉRIAS EXÓTICAS (excerto)

Mosteiro de Santa Maria da Vitória
Batalha
A eucaristia é, para os cristãos, a renovação do sacrifício de Cristo na Cruz, um tempo de adoração e de oração litúrgica partilhada. Mas também é, para todos, um acto cultural. Desde logo pelo local, tantas vezes tão artístico, que a mera presença nesse espaço é já uma lição de arte. A leitura de, pelo menos, quatro textos da Bíblia, que só se repetem de três em três anos, é uma aula sobre a principal obra da literatura mundial. A homilia é, afinal, um exercício de interpretação literária que também se oferece e, às vezes, padece-se. Os cânticos, quando de qualidade, enriquecem a própria celebração que, por vezes, nada tem a invejar à actuação dos melhores coros musicais. Os tempos de reflexão individual são uma visita guiada ao interior de nós mesmos e, os actos comunitários, um flash-mob de espiritualidade e de compromisso social.

Seja exótico nas férias e vá para fora cá dentro. Vá à missa e deixe-se surpreender pela beleza de Deus. E, se o argumento cultural o não convencer, que o persuada uma razão económica: é grátis.

Gonçalo Portocarrero de Almada

Clonagem

O homem é capaz de produzir em laboratório outro homem que, portanto, já não seria dom de Deus nem da natureza. Pode-se fabricar e, da mesma forma que se fabrica, pode-se destruir. [...] Se esse é o poder do homem, então ele se está convertendo numa ameaça mais perigosa que as armas de destruição em massa.

(Cardeal Joseph Ratzinger in ‘Debate no Centro de Orientação Política do Roma’, 10/2004)

O Evangelho do dia 3 de agosto de 2017

«O Reino dos Céus é ainda semelhante a uma rede lançada ao mar, que apanha toda a espécie de peixes. Quando está cheia, os pescadores tiram-na para fora e, sentados na praia, escolhem os bons para cestos e deitam fora os maus. Será assim no fim do mundo: virão os anjos e separarão os maus do meio dos justos, e lançá-los-ão na fornalha de fogo. Ali haverá choro e ranger de dentes. Compreendestes tudo isto?». Eles responderam: «Sim». Ele disse-lhes: «Por isso todo o escriba instruído nas coisas do Reino dos Céus é semelhante a um pai de família que tira do seu tesouro coisas novas e velhas». Quando Jesus acabou de dizer estas parábolas partiu dali.

Mt 13, 47-53