N. Sra. de Fátima

N. Sra. de Fátima
Fátima 2017 centenário das aparições de Nossa Senhora, façamos como Ela nos pediu e rezemos o Rosário diariamente. Ave Maria cheia de graça… ©Ecclesia

sexta-feira, 24 de março de 2017

Conheça a Serva de Deus Monteserrat Grasses uma jovem que nos ensinou a alegria em Jesus (vídeo legendado)

Reflexões Quaresmais

Quaresma – 23ª Reflexão

Hoje, Senhor, trazes a consciência à minha reflexão diária.

Docemente, como sempre fazes, dizes-me ao coração:
Sabes, meu filho, como se fala sempre de que a consciência está primeiro e deve reger a vida de cada um. E é verdade, mas a consciência deve ser formada, (embora ela esteja no coração do homem como uma lei escrita pelo próprio Deus), ou seja, deve ser uma recta consciência.
A consciência, sobretudo do cristão, deve ser formada no amor de Deus, no dom da Fé e na Doutrina da Igreja, porque só assim, a consciência nos pode guiar segundo a vontade de Deus. Por isso o homem deve procurar sempre a verdade e o bem.
E, meu filho, se tens que tomar uma decisão e pretendes iluminar a tua consciência segundo a verdade e o bem, procura conselho, mas não procures inúmeros conselhos até encontrares um coincidente com a tua vontade, porque então estarás a tentar enganar a tua consciência, procurando fazer a tua vontade e não a vontade de Deus escrita indelevelmente na tua consciência.

Fico a meditar no que me dizes, e peço-Te:
Leva-me, Senhor, a procurar formar a minha consciência segundo a verdade e o bem, segundo a Tua vontade.
Que eu não queira nunca manipular a minha consciência para fazer a minha vontade, mas sim que procure sempre o bom conselho e o siga, mesmo que me custe e não seja aquilo que eu julgo desejar para a minha vida.
Que eu deixe sempre o Espírito Santo iluminar a minha consciência para que em tudo eu faça apenas e só a Tua vontade.

Obrigado, Senhor, pela consciência que me dás e dás a cada um.

Monte Real, 4 de Março de 2016

Joaquim Mexia Alves na sua página no Facebook

Nota: Para melhor reflexão pelo menos um texto. O número 16 da Constituição Pastoral Gaudium et Spes

Amar significa recomeçar todos os dias a servir

"Estes dias – dizias-me – foram mais felizes do que nunca!". E respondi-te sem hesitar: porque "viveste" um pouco mais entregue do que habitualmente. (Sulco, 7)

Recordem a parábola dos talentos. Aquele servo que só recebeu um podia – como os companheiros  empregá-lo bem, procurar que rendesse, usando as suas qualidades. E que decide? Tem medo de o perder. E está certo. Mas, e depois? Enterra-o! E acaba por não dar fruto.

Não esqueçamos este caso de temor doentio de aproveitar honradamente a capacidade de trabalho, a inteligência, a vontade, o homem todo. Enterro-o – parece afirmar esse desgraçado , mas a minha liberdade fica a salvo! Não. A liberdade inclinou-se para uma coisa muito concreta, para a mais pobre e árida secura. Optou, porque não tinha outro remédio senão escolher; mas escolheu mal.

Nada mais falso do que opor a liberdade à entrega, porque a entrega surge como consequência da liberdade. Reparem que, quando uma mãe se sacrifica por amor aos filhos, escolheu; e, segundo a medida desse amor, assim se manifestará a sua liberdade. Se esse amor é grande, a liberdade será fecunda e o bem dos filhos nasce dessa bendita liberdade, que pressupõe entrega, e nasce dessa bendita entrega, que é precisamente liberdade.

Mas, perguntar-me-ão, quando conseguimos o que amamos com toda a alma, já não continuamos a procurá-lo. Desapareceu a liberdade? Garanto-vos que então é mais activa do que nunca, porque o amor não se contenta com um cumprimento rotineiro, nem se coaduna com o fastio e a apatia. Amar significa recomeçar todos os dias a servir, com obras de carinho.

Insisto, e gostaria de gravá-lo a fogo em cada um: a liberdade e a entrega não se contradizem; apoiam-se mutuamente. A liberdade só se pode entregar por amor; não concebo outra espécie de desprendimento. Não é um jogo de palavras mais ou menos acertado. Na entrega voluntária, em cada instante dessa dedicação, a liberdade renova o amor e renovar-se é ser continuamente jovem, generoso, capaz de grandes ideais e de grandes sacrifícios. (Amigos de Deus, 30–31)

São Josemaría Escrivá

VIA SACRA

VI estação

A verónica limpa a face de jesus

Nós Vos adoramos e bendizemos oh Jesus!
Que pela Vossa Santa Cruz remistes o mundo.

O rosto adorado do Divino Mestre é a máscara do sofrimento; vincado pelo esforço, contraído pelas dores, cheio de sangue, lívido dos escarros e pisado dos bofetões.

É o rosto de um homem martirizado em extremo.

Com a coragem e compaixão das pessoas simples, que não medem o perigo, ou inconveniência dos seus gestos, quando se trata de ajudar os que sofrem, a Verónica vence a multidão, afasta os soldados e limpa aquele rosto.

É um pequeno alívio para o Senhor, mas Jesus premeia este gesto de coragem e desassombro deixando a Sua divina face impressa no pano.

Atónita, a mulher, mostra a todos o que o Senhor fez. Muitos, naquele momento, se terão comovido, outros, caindo em si, pedem perdão, alguns haverá que têm inveja da Verónica, pois antevêem que será lembrada para todo o sempre.

A minha coragem perante a adversidade do ambiente, manifesta-se assim?

Sou capaz de me afirmar Filho de Deus quando essa afirmação pode ser incómoda?

Estou pronto a defender o meu Senhor e meu Deus, a Sua Igreja e os Seus ministros em quaisquer circunstâncias?

Fico-me calado sem querer "meter-me nisso"?

Tenho medo que trocem de mim?

Tenho receio de ser ridículo?

Senhor, ajuda-me a ter a coragem da Verónica, a fazer aquilo que posso e devo fazer em cada momento.

Seja eu merecedor, meu Jesus, das dádivas com que constantemente premeias os meus pequeníssimos e mal feitos actos de generosidade e compaixão.

Possa eu ser capaz, Senhor, de estar sempre e em cada momento e em qualquer lugar, à Tua espera para, perante todos, afirmar corajosamente:

Este é o Senhor meu Deus a Quem adoro, a Quem amo e de Quem espero a salvação eterna.

PN, AVM, GLP.

Senhor: Tem piedade de nós

São Josemaría Escrivá nesta data em 1933

Escreve: “Não tenhas medo da morte. – Aceita-a, desde agora, generosamente..., quando Deus quiser..., como Deus quiser..., onde Deus quiser, - Não duvides; virá no tempo, no lugar e do modo que mais convier..., enviada pelo teu Pai-Deus. – Bem-vinda seja a nossa irmã, a morte!”

SOBRETUDO OS MAIS NOVOS, JESUS!

A Mãe olhou para o Filho e disse-Lhe com os olhos cheios de gratidão:
Obrigado, meu Filho! Amo tanto aqueles Pastorinhos!

Depois chamou a Jacinta e o Francisco, que pastoreavam umas ovelhas novinhas pelo Céu, abraçou-os, e disse-lhes:
Preparai-vos, porque ides receber uma grande graça! Como sabeis, aqui no Céu somos todos Santos, mas fostes escolhidos, agora, para serdes exemplo de santidade para os que ainda vivem no mundo.

A Jacinta olhou a Mãe e disse:
Eu quero tanto fazer sacrifícios pelos pecadores!

O Francisco encolheu-se todo, quase como se desaparecesse, e disse também:
Eu fico aqui, no meu cantinho, a rezar, sempre a rezar, ao meu Jesus que já não me está escondido!

Maria, cheia do seu dulcíssimo instinto maternal, abraçou-os e falou-lhes baixinho:
Temos que rezar muito, para que os mais jovens vejam na vossa entrega, na vossa santidade, o caminho seguro a seguir. O mundo precisa tanto, mas tanto, que os mais jovens encontrem Jesus nas suas vidas!

Deram as mãos os três, ajoelharam-se numa nuvem de amor, e rezaram:
«Meu Deus eu creio, adoro, espero e amo-vos, peço-vos perdão pelos que não crêem, não adoram, não esperam e não vos amam.»

E a Jacinta e o Francisco ainda acrescentaram baixinho:
Sobretudo os mais novos, Jesus! Sobretudo os mais novos!

Monte Real, 23 de Março de 2017

Joaquim Mexia Alves

Escala de valores

A Jesus Cristo que é Deus na Santíssima Trindade em unidade com o Pai e o Espírito Santo amamos incondicionalmente e sabemos que jamais fez ou fará nada de errado, pelo que nem nos passa pela cabeça criticá-Lo, mas sim louvá-Lo e dar-Lhe graças por tudo. Ele é Filho de Deus Pai que se fez Homem para nos redimir e salvar, pelo que não gostamos de ouvir os que O ofendem, e tantos que o fazem infelizmente.

À família, sobretudo a mais próxima, e à Igreja, amamos muito, somos capazes de criticá-la em privado, mas não gostamos que a ataquem em público mesmo quando erra, porque estando no mais intimo do nosso coração preferimos guardar os erros no nosso coração e rezar para que se corrijam.

Que o Senhor nos ajude e ilumine a assim proceder hoje e sempre,

JPR

Deus escondido

Onde está Deus, onde pode ser encontrado? Está escondido?
Parece que se revela muito raramente. As pessoas desesperam-se porque pensam que Ele não fala com elas, não dá sinais, não interfere na sua vida.

Ele manifesta-se, mas não de forma ruidosa, não necessariamente sob a forma de uma catástrofe natural, embora as catástrofes naturais também possam ser manifestações suas. Não o faz, pois, de forma ruidosa, mas sempre se está manifestando. É claro que o receptor tem de estar, por assim dizer, sintonizado para captar o emissor.

Na nossa maneira de viver e de pensar, há tantas interferências perturbadoras que não somos capazes de captar o som, que também se tornou tão estranho para nós que não o reconhecemos como vindo dEle. Mas eu diria que qualquer pessoa que esteja atenta pode fazer essa experiência e perceber: neste momento, Ele dirige-se a mim; é uma oportunidade que me é dada para conhecê-lo. [...] Ele pode manifestar-se se eu estiver vigilante, e também se houver alguém que me ajude a decifrar a realidade. É claro que Ele não fala de forma ruidosa, mas sim através de sinais e dos acontecimentos da vida, e através das outras pessoas. É necessário, pois, ter uma certa vigilância, e perseverança para não ser dominado pelas coisas que ocupam o primeiro plano.

(Cardeal Joseph Ratzinger em ‘O sal da terra’, pág. 26)

O Evangelho do dia 24 de março de 2017

Vendo que Jesus lhes tinha respondido bem, perguntou-Lhe: «Qual é o primeiro de todos os mandamentos?». Jesus respondeu-lhe: «O primeiro de todos os mandamentos é este: “Ouve, Israel! O Senhor nosso Deus é o único Senhor. Amarás o Senhor teu Deus com todo o teu coração, com toda a tua alma, com todo o teu entendimento e com todas as tuas forças”. O segundo é este: “Amarás o teu próximo como a ti mesmo”. Não há outro mandamento maior do que estes». Então o escriba disse-Lhe: «Mestre, disseste bem e com verdade que Deus é um só, e que não há outro fora d'Ele; e que amá-l'O com todo o coração, com todo o entendimento, com toda a alma, e com todas as forças, e amar o próximo como a si mesmo, vale mais que todos os holocaustos e sacrifícios». Vendo Jesus que tinha respondido sabiamente, disse-lhe: «Não estás longe do reino de Deus». Desde então ninguém mais ousava interrogá-l'O.

Mc 12, 28b-34