N. Sra. de Fátima

N. Sra. de Fátima
Fátima 2017 centenário das aparições de Nossa Senhora, façamos como Ela nos pediu e rezemos o Rosário diariamente. Ave Maria cheia de graça… ©Ecclesia

terça-feira, 24 de janeiro de 2017

Primeiras declarações do novo Prelado do Opus Dei (legendado)

Maria, Regina pacis

Maria, Regina pacis, Rainha da Paz, porque tiveste fé e acreditaste que se cumpriria o anúncio do Anjo, ajuda-nos a aumentar a Fé, a sermos firmes na Esperança, a aprofundar o Amor. Porque é isso que quer hoje de nós o teu Filho, ao mostrar-nos o seu Sacratíssimo Coração. (Cristo que passa, 170)

Característica evidente de um homem de Deus, de uma mulher de Deus, é a paz na alma: tem "a paz" e dá "a paz" às pessoas com quem convive. (Forja, 649).

Não é lícito escudar-se em razões aparentemente piedosas para espoliar os outros do que lhes pertence: Se alguém diz: "Eu amo a Deus" mas odeia o seu irmão, é mentiroso. Mas também se engana a si mesmo quem regateia ao Senhor o amor e a reverência – a adoração – que lhe são devidos como Criador e nosso Pai; a quem se nega a obedecer aos seus mandamentos com a falsa desculpa de que algum deles é incompatível com o serviço dos homens claramente adverte S. João que nisto conhecemos que amamos os filhos de Deus: Se amamos a Deus e guardamos os seus mandamentos. Porque o amor de Deus consiste em guardar os seus mandamentos; e os seus mandamentos não são pesados(Amigos de Deus, 166)

São Josemaría Escrivá

Papa Francisco nomeia Mons. Fernando Ocáriz prelado do Opus Dei

No final da tarde de hoje, o Papa Francisco nomeou Mons. Fernando Ocáriz prelado do Opus Dei. O Santo Padre confirmou, no mesmo dia, a eleição realizada pelo terceiro congresso eletivo da Prelatura.
Com esta nomeação, Mons. Fernando Ocáriz, que até agora era o vigário auxiliar do Opus Dei, torna-se o terceiro sucessor de S. Josemaria à frente da prelatura, depois do falecimento de D. Javier Echevarria, a 12 de dezembro do ano passado.
Mons. Fernando Ocáriz nasceu em Paris a 27 de Outubro de 1944, filho de uma família espanhola exilada em França pela Guerra Civil (1936-1939). É o mais novo de oito irmãos.
O SANTO PADRE CONFIRMOU A ESCOLHA FEITA PELO TERCEIRO CONGRESSO ELETIVO DA PRELATURA NO PRÓPRIO DIA.
É licenciado em Ciências Físicas pela Universidade de Barcelona (1966) e em teologia pela Pontifícia Universidade Lateranense (1969). Obteve o doutoramento em Teologia em 1971 pela Universidade de Navarra. Nesse mesmo ano foi ordenado sacerdote. Nos seus primeiros anos como presbítero dedicou-se especialmente à pastoral juvenil e universitária.
É consultor da Congregação para a Doutrina da Fé (desde 1986) e de outros dois organismos da cúria romana: Congregação para o Clero (desde 2003) e o Conselho Pontifício para a Promoção da Nova Evangelização (desde 2011). Em 1989 ingressou na Academia Pontifícia de Teologia. Na década de oitenta foi um dos professores que iniciou a Universidade Pontifícia da Santa Cruz(Roma), onde era professor (agora emérito) de Teologia Fundamental.

Entre as suas publicações teológicas, destacam-se livros sobre cristologia, como The mystery of Jesus Christ: a Christology and Soteriology textbook; Hijos de Dios en Cristo. Introducción a una teología de la participación sobrenatural. Outros volumes tratam de temos de índole teológica e filosófica, como Amar com obras: a Deus e aos Homens; Natureza, Graça e Glória, com prefácio do Cardeal RatzingerEm 2013 publicou-se um livre entrevista de Rafael Serrano sob o título Sobre Deus, a Igreja e o mundo. Entre as suas obras há dois estudos de filosofia: Marxismo: teoria e prática de uma revolução; Voltaire: tratado sobre a tolerância. É ainda autor co-autor de numerosas monografias e autor de vários artigos teológicos e filosóficos.
Desde 1994 é vigário geral do Opus Dei e em 2014 foi nomeado vigário auxiliar da prelatura. Durante os últimos 22 anos acompanhou o anterior Prelado, D. Javier Echevarria, nas suas visitas pastorais a mais de 70 países. Nos anos 60, sendo estudante de teologia, conviveu em Roma com S. Josemaria Escrivá, fundador do Opus Dei. Desde jovem é aficionado do ténis, desporto que continua a praticar.
Nos próximo dias, o novo prelado proporá aos congressistas os nomes dos seus vigários, assim como os dos demais membros dos conselhos que o assistirão durante os próximos 8 anos.
(Fonte: site do Opus Dei AQUI)

São Josemaría Escrivá sobre Santa Maria a Rainha da Paz

Santa Maria da Paz. A Igreja Prelatícia em que se veneram os restos de São Josemaría é dedicada a Santa Maria da Paz. “Santa Maria é – assim a invoca a Igreja – a Rainha da paz. Por isso, quando se agitar a tua alma, o ambiente familiar ou profissional, a convivência na sociedade ou entre os povos, não cesses de a aclamar com esse título: Regina pacis, ora pro nobis! – Rainha da paz, roga por nós! Experimentaste, ao menos, quando perdes a tranquilidade?... – Surpreender-te-ás da sua imediata eficácia”. (Sulco, n. 874)

FELIZ ÉS TU PORQUE ACREDITAS!

«Feliz de ti que acreditaste, porque se vai cumprir tudo o que te foi dito da parte do Senhor.» Lc 1, 45

Há o Dom da Fé, Dom gratuito de Deus aos homens.

Mas se não abrimos o coração a Deus, se não abrimos o coração para acreditar, para que serve o Dom da Fé?

Feliz de ti que acreditaste, porque assim o Dom da Fé se tornou real, vivo e actuante na tua vida.

E se tens Fé, se acreditas que tens esse Dom da Fé, então acreditas em Deus pela Fé, e acreditas que Ele está sempre contigo, porque acreditas em tudo quanto te foi dito pelo próprio Senhor na Sua Palavra.

E se acreditas que Deus está sempre contigo, como podes tu não ser feliz?

Feliz és tu porque acreditas!

E és feliz porque não só acreditas em Deus, como acreditas em tudo o que Ele te disse, acreditas na Sua Palavra e acreditas em tudo quanto te foi dito da parte d’Ele, pela Igreja.

Por isso, porque acreditas, a Palavra é vida para ti, a oração é ânimo para ti, a Eucaristia é alimento para ti, a Igreja é casa de família e caminho seguro para ti e Maria é tua mãe e refúgio em todos os momentos.

Feliz és tu porque acreditas!

Leiria, 23 de Janeiro de 2016

Joaquim Mexia Alves

Nota: Escrito durante a recoleção para Ministros Extraordinários da Comunhão, no Seminário Diocesano de Leiria-Fátima

Senhor, fazei de mim um instrumento da vossa paz (oração de S. Francisco)

Onde há ódio, que eu leve o Amor;
Onde há ofensa, que eu leve o Perdão;
Onde há discórdia, que eu leve a união;
Onde há dúvida, que eu leve a Fé.

Onde há erro, que eu leve a Verdade;
Onde há desespero, que eu leve a Esperança;
Onde há tristeza, que eu leve a Alegria;
Onde há trevas, que eu leve a Luz.

Oh Mestre, fazei que eu procure menos
Ser consolado do que consolar;
Ser compreendido do que compreender;
Ser amado do que amar.

Porque é dando que se recebe;
É perdoando que se é perdoado;
É morrendo que se ressuscita
Para a Vida Eterna.

O DESCONFORTO de Hugo de Azevedo (Extraído do livro 'Poemas Imperfeitos')

Vento de Vncent Van Gogh
O desconforto do vento
o desconcerto do ar
o frio de fora a entrar
no guarda-vento do horto!
(Mas que estou eu a palrar
sem horto nem guarda-vento
só por o vento soprar
como é próprio deste tempo?)
É o desconforto do mar
é o frio vento da noite
é o lobo da noite a uivar
sobre mim como um açoite!
(Mas que estou eu a chorar
se o vento pára nos muros
e nem me chega a tocar
com os seus silvos escuros?)
É o desconforto dos outros
é o arrepio dos ramos
são animaizinhos mortos
é o tremerzinho dos canos
Coitado de quem, coitado
pela ventania vai
Tenho pena do coitado
como se fosse seu pai
Meu irmão que andas ao vento
gostava de estar contigo
Dava-te a minha amizade
que é sempre o melhor abrigo

Hugo de Azevedo

S. Francisco de Sales – Bispo e Doutor da Igreja – †1622

"Nenhum dos Doutores da Igreja, mais do que São Francisco de Sales preparou as deliberações e decisões do Concílio Vaticano II com uma visão tão perspicaz e progressista. Oferece-nos a sua contribuição pelo exemplo da sua vida, pela riqueza da sua verdadeira e sólida doutrina, pelo facto que abriu e reforçou as veredas da perfeição cristã para todos os estados e condições de vida. Propomos que essas três coisas sejam imitadas, acolhidas e seguidas."

(Paulo VI – 1967)

Formado em Direito e, com todos os requisitos para ser um óptimo advogado, Francisco contrariou os pais ao entrar para o sacerdócio; porém acertou na vocação, porque assim passou a advogar espiritualmente pelo povo de Deus.

Depois de sua ordenação sacerdotal, foi, após algum tempo, ordenado bispo, cuja missão era lidar com os católicos convertidos ao Calvinismo.

Este grande servo de Deus usou de folhetos e de todos os meios possíveis, para, naquela época, consciencializar o povo sobre a doutrina cristã, promovendo encontros, diálogos, palestras e, acima de tudo, por meio do testemunho de vida.

Indo a Genebra, acabou nas mãos dos calvinistas, porém conseguiu ser um pastor sábio e prudente entre eles.

O Evangelho do dia 24 de janeiro de 2017

Nisto chegaram Sua mãe e Seus irmãos, os quais, ficando fora, O mandaram chamar. Estava muita gente sentada à volta d'Ele. Disseram-Lhe: «Eis que Tua mãe e Teus irmãos estão lá fora e procuram-Te». Ele respondeu-lhes: «Quem é Minha mãe e quem são Meus irmãos?». E, olhando para os que estavam sentados à volta d'Ele, disse: «Eis Minha mãe e Meus irmãos. Porque quem fizer a vontade de Deus, esse é Meu irmão, Minha irmã e Minha mãe».

Mc 3, 31-35