N. Sra. de Fátima

N. Sra. de Fátima
Fátima 2017 centenário das aparições de Nossa Senhora, façamos como Ela nos pediu e rezemos o Rosário diariamente. Ave Maria cheia de graça… ©Ecclesia

terça-feira, 10 de janeiro de 2017

Que os nossos lares sejam o reflexo da Sagrada Família

Todos nos temos de esforçar por tornar amável o relacionamento com as pessoas que convivem connosco ou que estão perto, por uma razão ou por outra. Demos espaço ao Senhor no nosso coração e nos nossos dias. Assim fizeram também Maria e José, mas não foi fácil: quantas dificuldades tiveram que superar! Não era uma família fictícia, nem uma família irreal. A família de Nazaré compromete-nos a redescobrir a vocação e a missão da família, de cada família [16].

Supliquemos ao Senhor, por intercessão da Virgem Maria e de S. José, que nos Centros da Obra, nas casas dos outros fiéis e cooperadores da Prelatura, dos nossos familiares e amigos e em todos os lares cristãos, se reflita o exemplo da Sagrada Família. Contemplar Jesus, Maria e José há de impulsionar-nos a estar atentos aos outros, como eles estiveram. Temos de rezar diariamente e ocupar-nos das suas necessidades espirituais e materiais, do seu descanso, da ordem e dignidade material da casa, que há de ser um espelho do lar de Nazaré. E não consideremos nunca estes deveres como um peso, mas como salutares ocasiões de servir.

No seio da família de Nazaré, Jesus foi testemunho de tantos pormenores de delicadeza, de tantas manifestações de carinho. Quando começou a Sua vida pública, conheciam-No pelas suas raízes familiares: Não é este o filho do artesão? Não se chama sua mãe Maria? [17] Que bom seria que, ao observarem a nossa atuação de fiéis seguidores de Cristo, as pessoas pudessem afirmar: nota-se que esta pessoa imita o exemplo de Jesus, porque cuida o ambiente da sua casa, porque o leva consigo para todo o lado, porque deseja que os outros participem dessa alegria e dessa paz.
No próximo dia 9 é o aniversário do nascimento de S. Josemaria. Em Barbastro e em Logronho, o nosso Fundador aprendeu tantos pormenores próprios da unidade familiar, que depois nos transmitiu a nós. O nosso reconhecimento vai também para os seus pais, por terem sido dóceis instrumentos de Deus para a formação humana e sobrenatural de S. Josemaria.

Unamo-nos às intenções do Papa, rezando também pelos religiosos, as religiosas e as almas consagradas, neste ano que a Igreja lhes dedica. E recorramos, nesta prece, à Santíssima Virgem, com grande confiança.

Com outras palavras do nosso Fundador, peçamos que nas famílias se mantenha sempre o espírito dos primeiros tempos do cristianismo: pequenas comunidades cristãs que foram centros de irradiação da mensagem evangélica. Lares iguais aos outros lares daqueles tempos, mas animados de um espírito novo que contagiava aqueles que os conheciam e com eles conviviam. Assim foram os primeiros cristãos e assim havemos de ser nós, os cristãos de hoje: semeadores de paz e de alegria, da paz e da alegria que Cristo nos trouxe [18].

Há poucos dias passei por Pamplona e visitei alguns doentes. Também me reuni com cerca de duas mil e quinhentas pessoas no pavilhão desportivo da Universidade. Recordei o olhar, cheio de agradecimento ao Senhor, de S. Josemaria. E passava-me pela alma, pela mente, que em qualquer lugar onde nos encontremos, estamos na nossa própria casa, bem unidos, para servir Deus e todas as almas.

[16]. Papa Francisco, Discurso na Audiência geral, 17-XII-2014.
[17]. Mt 13, 55.
[18]. S. Josemaria, Cristo que passa, n. 30.

(D. Javier Echevarría, na carta do mês de janeiro de 2015)
© Prælatura Sanctæ Crucis et Operis Dei

Sem comentários: